Curta a página do Projeto

Tratamento Restaurador Atraumático. Como o próprio nome diz: SEM TRAUMA. Nem odontológico nem psicológico!

Novo artigo para Download

Confira o Artigo de revisão sistemática o selante ART com o diamino fluoreto de prata...

CIORJ 2013

Resumo da aula ministrada pelo Professor Antonio Monnerat no CIORJ 2013...

Restauração: Inserção e Acabamento

Vídeo demonstrando o TRA em manequim...

Remoção Seletiva de Cárie

Vídeo sobre Remoção Seletiva de Cárie, aproveite e deixe seu comentário...

Artigo 1: Ação do Laser Diodo, Própolis, Clorexdina 2%,e Flúor sobre dentina previamente ao TRA

In vivo comparison of cavity disinfection efficacy with APF gel, Propolis, Diode Laser, and 2% chlorhexidine in primary teeth
-          Revista : Contemporary Clinical Dentistry 2016 Jan-Mar;7(1):45-50
-          Autores : P.V.M Uday Mohan, K. S. Uloopi, C. Vinay e R. Chandrasekhar
-          Departamento de Odontopediatria e Odontologia Preventiva, da Faculdade de Odontologia de Vishnu, India.

O estudo foi feito com a intenção de avaliar e comparar a capacidade de desinfecção da cavidade usando Laser Diodo, Fluor Fosfato Acidulado, Própolis ou Clorexidina a 2%; que seriam posteriormente restauradas pelo TRA. 
Os testes, para avaliar a capacidade de desinfecção, foram feitos da seguinte forma: em 80 molares permanentes de 68 crianças (não especifica a idade dessas crianças) foram coletadas duas amostras do fundo da cavidade, uma antes da desinfecção (controle) e a segunda amostra após a desinfecção. As amostras foram inseridas em 3 meios de cultura: contagem total de bactérias, contagem de streptococcus mutans, e de Lactobacilli. Para analisar os resultados foram usados métodos matemáticos estatísticos para avaliação dentre cada grupo( Wilcoxon signed-rank) de material e entre diferentes grupos (Kruskal-Wallis ANOVA and Mann-Whitney U-test).
Todos os grupos reduziram significativamente a contaminação após o uso dos antimicrobianos. Entre os grupos, Laser Diodo, Clorexdina e Própolis iveram resultados semelhantes e o FFA apresentou menor redução bacteriana.

Na discussão do artigo foram levantados os seguintes questionamentos.

-          Não seriam o vedamento e a ação do flúor liberado pelo CIV, assim como o selamento da cavidade promovido pela camada de troca iônica suficiente para a saúde dental? Afinal essas bactérias não teriam mais acesso ao biofilme permitindo assim recuperação da área desmineralizada.


-          A permanência dessas bactérias em um primeiro momento não seria algo importante para a manutenção da saúde desse dente? Na técnica de TRA é recomendado deixar (principalmente se for próximo a polpa) a dentina afetada, esta que ainda tem foco bacteriano ativo porem ainda é passível de remineralização, mas para que essa remineralização aconteça é necessário um estimulo constante sobre os odontoblastos da polpa para produzir dentina reparadora. Então, será que removendo a maioria dessas bactérias da cavidade não estaríamos dificultando a resposta da polpa em remineralizar essa dentina? 

0 comentários:

Postar um comentário